Era uma vez um peixinho...

...um peixinho muito especial.

Era douradinho, de um magrinho gordinho que adorava salsichas.

Diziam que andava sempre dividido entre o mar e o ceú, por onde navegava à vista entre devaneios e ilusões. Diziam, porque na que realidade ele tinha poderes especias e, mesmo vivendo no meio de todos nós, respirando o mesmo ar, ele conseguia pegar na realidade e transporta-lá para uma reino mais profundo, talvez inspirando-se nas suas visitas ao fundo dos oceanos.

Só alguns priviligiados o conheciam melhor na sua vida terrena. Era preciso tempo, paciencia. Adorava brincar e fazer rir. Sorrir das coisas simples e rir das coisas sérias para que a gravidade da terra não o impedisse jamais de flutuar sobre as núvens onde o sol brilha sempre. Mas entre uma volta aos céus e umas bracadas no mar, ele andava bem atento aos que mais amava, tentando fazer-lhes todo o bem que lhes queria.
Tenho saudades da minha foquinha...sempre.

1 comentário:

bacouca disse...

Minha querida
O nosso "Foquinha" com toda a sua imaginação e alegria de viver e conhecer, transformou-se num "pássaro", com as suas asas lindas. Voou muito alto, tão alto como só ele sabia e algo ou ALGUEM quis tê-lo perto de Si, num novo Mundo, transformando-o num anjo. Continua feliz pois de lá consegue ver-nos a todos sempre e ajudar-nos.
Quando estiveres mais triste, te sentires sózinha, fica em silêncio e vais ouvi-lo, ele que tanto gostava e gosta de falar contigo.
Eu já faço isso e ele está presente!
Um grande beijo